SUZANE.COM

SUZANE CORRE NA COPA HONDA CBR 500R!

TESTE
por Suzane Carvalho



HONDA LANÇA NOVA VERSÃO DE SEU QUADRICICLO TRX 420 FOURTRAX

Fotos: Caio Mattos



        A utilização de ATVs, UTVs e quadriciclos está se popularizando no Brasil. Tanto para o uso no lazer quanto para o trabalho e até para competição, pois cada vez mais os campeonatos de rally incluem categorias para eles. E a Honda está lançando o novo TRX 420 Fourtrax.



        Ele tem opção de tração 4x2 que é o TM, ou 4x4 que é o FM. Mesmo tendo refrigeração líquida, enfrenta bem terrenos alagados e travessia de rios, pois suporta água até a altura dos faróis. A mudança da tração 4x4 para 4x2 e vice-versa, é bem fácil e pode ser feita em movimento através de uma alavanca.
        A mudança das marchas é feita no pedal esquerdo. Como a embreagem é centrífuga e automática, não tem o manete para a troca das marchas, ficando mais fácil pilotá-lo. A lubrificação da caixa de marchas é feita a óleo.



        O sistema de direção é elétrico. A versão 4x2, indicada para terrenos com menos obstáculos, é um pouco mais leve; e um pouco mais leve também para guiar. O Peso total dele é de 247 kg e a 4x4, 263 kg. Ele tem 2 metros e 10 cm de comprimento, 1 metro e 20 de largura e 1,174 m de altura.
        Assim como nas motos, o freio dianteiro está no manete direito. E o traseiro pode ser acionado tanto pelo manete esquerdo, como nas scooters, quanto pelo pedal do freio, o que é útil quando estamos fazendo determinadas manobras. Os freios dianteiros são a disco com 190 mm e acionamento hidráulico e possuem capa protetora contra possíveis danos. O traseiro é do tipo tambor com 160 mm e acionamento mecânico.
        O TRX 420 tem também freio de estacionamento.





        NOVO DESIGN
        Tem dois bagageiros: um na frente e outro atrás, que podem transportar até 90 kg de carga; mais 130 kg para piloto e passageiro. O Fourtrax pode ainda puxar, rebocar, outros 385 kg!
        Visando reduzir o custo de manutenção, a carenagem agora foi dividida em três partes; assim, caso haja algum dano, fica mais fácil fazer a troca. A grade frontal está mais resistente para enfrentar as trilhas; e o assoalho protege o piloto de prováveis pedras que venham de baixo.




Bagageiro traseiro

Bagageiro dianteiro


        O Fourtrax ganhou um alternador mais potente, com 21% a mais de capacidade para geração de energia. É possível então conectar mais acessórios elétricos, como lâmpadas extras, carregadores de eletrônicos, GPS, ou até mesmo uma grelha para fazer um churrasco.
        Com isso, o farol está com a luz mais forte, pois as lâmpadas, que eram de 30 W agora são de 35. Ele tem partida elétrica e as lanternas traseiras são em LED. A bateria é de 12 volts.

        Na versão 4x4 o painel é totalmente digital. Com velocímetro, horímetro para marcar o tempo de uso do motor, hodômetros total e parcial, relógio, marcador de combustível, de temperatura, indicador de marcha, inclusive da ré, de tração, de manutenção, enfim... é completo.





Painel com indicações luminosas do TM 4x2

Painel digital do FM 4x4



        O banco tem novos formato, espuma e altura: ele está um pouco mais alto, e fica a 85,6 cm do chão.

        O tanque de combustível cresceu: sua capacidade foi aumentada de 13,3 para 14,7 litros, com reserva de 4,2. Ele foi desenvolvido em plástico injetado de alta resistência. A bomba de combustível foi para dentro do tanque, o que dificulta a entrada de sujeira. O bocal mudou de lugar: foi para a lateral direita e agora ficou mais fácil abastecer.

        O quadro é totalmente novo. É mais leve, pois tem carbono em sua composição, ao mesmo tempo em que ficou 20% mais rígido, pois tem aço de alta resistência. A transferência de energia para o piloto foi minimizada e a condução ficou mais suave e confortável, já que dá menos trancos. Ele é do tipo berço duplo, que acomoda e protege o motor.



        A suspensão também é toda nova e o curso aumentou em 10 mm. A dianteira é totalmente independente (Double Wishbone), com 170 mm de curso. É multi-link e tem blocante com sensor de torque e limitador de deslizamento, além dos amortecedores de dupla ação (compressão e retorno).
        A traseira é do tipo “Trailing”, visando utilizar o reboque, com monoamortecedor de 170 mm de curso. O eixo é rígido, movendo as duas rodas juntas, assim como em um Kart.


Clique na imagem para assistar ao funcionamento das suspensões



        MOTOR
        O motor monocilíndrico de 420,2 cc é o mesmo utilizado na versão anterior, mas teve aumento de potência para 26,9 cavalos a 6.250 rpm. Alterações no escapamento e no corpo do acelerador fizeram com que ele ganhasse 10% no torque e agora ele está com 3,4 kgf.m a 5.000 rpm, 500 giros mais embaixo que na versão 2013. Só que 80% desse torque já aparece a 3.500 giros.
        A árvore de manivela é longitudinal, o comando de válvulas lateral, instalado no bloco, com varetas em vez de corrente.
        A injeção da gasolina é eletrônica com PGM-FI e a refrigeração é líquida.
        Mesmo não sendo um veículo que trafega em ruas nem passa por vistoria do Detran, tem sensor catalítico de combustível, para que haja controle do índice de emissão de gases.

        O câmbio é manual, com 5 velocidades mais a ré.


        O Fourtrax não é encontrado em todas as concessionárias da Honda, já que para vendê-lo, é preciso treinamento específico, e nem todas as lojas habilitam seus funcionários. Mas está em 102 delas. Indico que faça uma busca para localizar a mais próxima de você.

        Brasileiro, fabricado em Manaus, tem nas cores vermelho e verde.
        A meta da Honda é vender 6.000 unidades do TRX 420 ainda em 2014.
        A versão 4x2 chamada de TM, custa 18.890,00 e a 4x4, chamada de FM, 20.990,00.




%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%




O pessoal de meu Centro de Treinamento vai ficar feliz com um TRX 420 para recolher os cones





        Comparando com outros países, o mercado brasileiro de quadriciclos está engatinhando e tem muito para crescer.
        A Honda começou a importação de seu quadriciclo TRX 350 em 2001, e logo no ano seguinte ele já começou a ser produzido em Manaus. A segunda geração, já com injeção eletrônica e refrigeração líquida, veio em 2008 com a chegada do TRX 420 Fourtrax.
        Até 2011 esse mecado era dominado pela fábrica japonesa , mas com o mercado em expansão, a partir de 2012, a Polaris e a Cam-Am começaram a importação oficial, aumentando a concorrência.
        Agora, 6 anos depois do lançamento do Fourtrax, chega sua segunda versão, com novo chassi.



Banco triangular

Alavanca de troca de tração

        2/3 dos quadriciclos vendidos no Brasil tem como finalidade o lazer, e apenas 1/3 é utilizado como utilitário, sendo que o agronegócio e serviços governamentais representam 53% das vendas para o uso profissional. Mas a Honda está querendo aumentar essa fatia com o lançamento de diversos acessórios voltados para o trabalho.
        Grande parte das aquisições é para utilização em policiamento e limpeza. No mais, o agronegócio é responsável por outra parte, pois além da locomoção, é utilizado para colheitas, para arar a terra, entre outras funções. Já na parte do lazer, os passeios e trilhas em finais de semana e as competições são os responsáveis pelas vendas.







        Atualmente, a maior concentração de vendas está no nordeste onde há 37% dos consumidores. A região Sul detém 18 % do mercado, enquanto que Norte e Centro Oeste juntos, 17%; São Paulo 14% e o resto do Sudeste, outros 14%.



















15 de junho de 2014